Buscar
  • toazul

Como gastar menos do que ganho?

Equilibrar as contas requer planejamento financeiro e disciplina na hora de gastar dinheiro. Caso contrário, você poderá perder o controle das finanças e acabar por se endividar, mesmo com um orçamento bem definido. Além disso, é preciso ficar atento ao seu próprio comportamento e nível de consumo para não gastar mais do que ganha.

Sem esse cuidado, mesmo que você tenha um aumento em sua renda, poderá ter de recorrer a opções de crédito rotativo com juros elevados, como cartão de crédito e cheque especial, para cobrir suas contas. Dessa forma, a chance de acumular dívidas aumenta.

Para evitar esse tipo de situação, separamos algumas dicas que podem ajudar você a gastar menos do que ganha e, inclusive, ajudar a juntar dinheiro. Confira!


Planeje o seu orçamento pessoal e familiar


Como apontado anteriormente, o planejamento financeiro é um dos componentes necessários para não gastar mais do que ganha. Esse plano precisa conter o seu orçamento pessoal e, se possível, familiar. A dica é usar uma planilha ou um programa para montá-lo.


Depois disso, é importante incluir nele o seu salário e outras rendas, bem como as suas contas do mês — se desejar, você pode usar outro período, como uma semana, uma quinzena ou outro período. Caso seja um planejamento familiar, coloque as mesmas informações dos demais membros da família.


As contas devem ser especificadas e, de preferência, reunidas em grupos, como despesas de moradia, transporte, alimentação, etc. Para cada grupo, é importante estimar o quanto gastará com os itens que o compõem, o que pode ser feito

especificando o valor ou a porcentagem de sua renda que será usada para cobri-los.

Por exemplo, se você mora de aluguel, aponte a porcentagem da sua renda que irá para essa conta no grupo despesas de moradia. Aliás, ao pesquisar sobre o assunto, é comum encontrar conselhos que dizem para comprometer somente até 30% de sua renda com isso. Outros itens, como conta de água, energia elétrica, gás, etc. também precisam ser descritos.

O mesmo vale para os demais grupos. Aliás, aqui vai uma dica: para juntar dinheiro, você também poderá determinar um grupo como reserva financeira, poupança ou economias, especificando um valor ou porcentagem que será reservado para ele.


Busque crédito inteligente em vez de o mais cômodo


Se você está com dívidas que dificultam o seu controle financeiro, tente buscar um crédito pessoal para quitá-las. Se elas geram juros, o empréstimo precisa ter taxas menores.


Portanto, em vez de uma opção mais cômoda, como cartão de crédito ou cheque especial, dê preferência a uma alternativa inteligente a fim de evitar se endividar ainda mais por causa dos juros altos dessas duas opções. Afinal, elas poderão comprometer o seu orçamento.


Uma dica é o empréstimo pessoal consignado, uma modalidade que tende a ser mais vantajosa nesse ponto. Além disso, você precisa se preocupar menos com as parcelas a pagar porque elas são debitadas diretamente do salário, ou seja, dificilmente esquecerá de quitá-las em suas datas de vencimento.


Classifique gastos por importância e reduza os desnecessários


Na hora de listar os gastos que você colocará no seu planejamento financeiro, aproveite para classificá-los como:

  • essenciais — gastos vitais para a sobrevivência e manutenção da rotina. Por exemplo, a compra de comida, o pagamento de água e luz, a aquisição de medicamentos, entre outros;

  • necessários — gastos importantes para você e sua família, embora não sejam essenciais. Alguns itens que se encaixam nesse grupo são a conta de Internet e as despesas com carro. Vale destacar que a importância deles poderá variar dependendo da sua condição. Por exemplo, pagar a conta de Internet se torna essencial se o seu trabalho depende dela;

  • desnecessários — gastos supérfluos, isto é, que podem ser cortados sem que façam falta. Jantares frequentes fora de casa, produtos de supermercado que não são vitais para a subsistência e vestuário da moda são alguns exemplos.

Busque se disciplinar no controle de suas finanças


É importante ter disciplina no controle de suas finanças para seguir corretamente o que foi planejado e evitar exageros na hora de fazer compras e pagar contas. Caso contrário, o planejamento será ineficiente.


Se você sente um impulso forte de comprar coisas, evite passar perto de lojas e vitrines. Se isso acontece na web, reduza o acesso a portais de e-commerce. Por outro lado, quando for fazer compras, leve uma lista com os itens que precisa e tente adquirir somente o que está nela. Se der, pegue marcas mais baratas.


Com o tempo, você poderá se acostumar com a sua nova realidade e, assim, controlar melhor as suas finanças e passar a gastar menos do que ganha. Aliás, manter a disciplina é importante mesmo que a sua renda suba, pois é preciso cuidado para que os gastos também não aumentem na mesma proporção. Por fim, se você pretende melhorar ainda mais o controle de suas contas, invista em educação financeira.


Aliás, preparamos um artigo especial sobre esse tema. Não deixe de conferi-lo!


18 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo