Buscar
  • toazul

Como montar e controlar um orçamento doméstico

Montar um orçamento doméstico pode ajudar você a organizar as suas contas, planejar melhor a realização de objetivos e até mesmo sair do vermelho. Isso porque ele serve como um guia sobre como gastar o seu salário e, inclusive, economizar.

Para desenvolvê-lo, você precisará levantar informações sobre seus hábitos de consumo. Ao organizá-las, conseguirá ver quais são os seus gastos essenciais, necessários e supérfluos. Dessa forma, terá como redirecionar seu dinheiro para aquilo que você e sua família realmente precisam.

No entanto, muitas pessoas não tem o hábito de organizar suas finanças com esse instrumento tão importante. Aliás, um relatório divulgado pelo Banco Central do Brasil (BACEN) apontou que 56% dos brasileiros não montam um orçamento doméstico ou familiar.



Para não fazer parte dessa estatística e aproveitar os benefícios que um orçamento do tipo é capaz de proporcionar, confira um passo a passo simples para você montar um!


Liste os seus gastos


Identifique e anote todas as suas contas para saber em que o seu dinheiro é usado. É importante levantar até mesmo as pequenas despesas, como a compra de um cafezinho. Dessa forma, você poderá checar se elas, quando somadas, não constituem um gasto considerável. Muitas vezes, um rombo no orçamento vem justamente do acúmulo dessas despesas menores.

Anote também os valores correspondentes às contas. Isso permitirá estimar o quanto poderá despender com cada despesa no mês seguinte (ou outro período, se desejar). A somatória desses valores também possibilitará a você entender se gasta menos do que ganha ou se tem ficado no vermelho.


Divida as contas em conjuntos


Após levantar as despesas, divida-as em conjuntos. Tal ação é importante para mensurar quais áreas precisam de mais dinheiro e em quais você gasta mais do que seria o ideal. Veja alguns exemplos de grupos de gastos:

  • alimentação;

  • saúde;

  • educação;

  • transporte;

  • lazer etc.

Em seguida, tente categorizar as contas em gastos essenciais, necessários e supérfluos. O primeiro tipo corresponde àquilo que você não pode abrir mão, pois sua subsistência depende disso. Por exemplo, a compra de alimentos.

O segundo grupo envolve itens necessários para o dia a dia, embora não sejam essenciais. No caso, você pode reduzir o gasto com eles caso seja preciso. Por exemplo, o uso de carro para ir trabalhar quando dá para ir de transporte público.

Por fim, temos aqueles gastos desnecessários. Quando são cortados, não fazem tanta falta ou não geram tantos problemas para você. Por exemplo, TV a Cabo, vestuário da moda, entre outros itens.


Utilize uma ferramenta para organizar o orçamento


Organizar as informações levantadas nas etapas anteriores em uma planilha ou aplicativo melhora o controle das suas finanças. Isso porque esses instrumentos facilitam a visualização e a estruturação dos seus dados de consumo.

Dependendo do instrumento usado, você poderá combinar as informações com outros controles, como de seus ganhos, de pagamento de parcelas de um empréstimo pessoal, de investimentos etc.


Acompanhe o orçamento periodicamente


Não basta estruturar suas contas em uma ferramenta se você não acompanhá-la periodicamente. Sem um controle do orçamento eficiente, aumenta a chance de desequilibrar novamente suas finanças e se endividar. Isso porque você poderá se esquecer de fazer lançamentos e, caso isso ocorra, terá dificuldades para controlar o seu dinheiro.


Aliás, se estiver pagando algum crédito, também poderá não se lembrar de pagar as parcelas em suas datas de pagamento. Consequentemente, cada atraso acarretará juros e multas que levarão parte do seu dinheiro. Inclusive, ao acompanhar o orçamento, você verá melhor o quanto da sua renda vai para pagar por esse crédito pessoal.

Nesse caso, uma dica é tentar trocá-lo por um empréstimo consignado, como o oferecido pela toazul, pois conta com juros menores e o débito é feito no salário. Isso evita que você se esqueça de pagar as parcelas e, consequentemente, tenha de arcar com juros e outras taxas.


Vale destacar que acompanhar continuamente as contas é essencial para checar se os orçamentos estão de acordo com as necessidades financeiras e, caso não estejam, fazer ajustes. Também é importante ter disciplina ao montar e controlar o orçamento doméstico para não estourá-lo, isto é, gastar mais do que as metas estabelecidas.

Para melhorar ainda mais o seu controle das finanças, veja o artigo especial que preparamos sobre educação financeira para não entrar em dívidas!


24 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo