Buscar
  • toazul

Dívidas afetam a produtividade dos funcionários?

Se alguém dissesse que o endividamento dos funcionários pode ter tanto impacto sobre o orçamento quanto as dívidas da própria empresa, você estranharia?


gif

Neste artigo, mostramos porque essa afirmação é mais razoável do que pode parecer.

Que o estresse pode gerar diversas complicações para a saúde física e mental das pessoas, pouco se discute. O que tem ocupado o tempo dos pesquisadores atualmente é a busca das causas do estresse e dos efeitos que ele pode provocar.

No que diz respeito às causas, pesquisas têm indicado que o dinheiro é a principal fonte de preocupação da maioria das pessoas, a frente da própria saúde e das relações pessoais. E não é para menos: nossa relação com o dinheiro determina se conseguimos bancar nosso estilo de vida, realizar objetivos e lidar com imprevistos, como doenças ou desemprego.

E, no que se refere à gestão do dinheiro, o que pode ser mais estressante do que as dívidas? Elas estão entre os compromissos financeiros mais importantes que se pode ter, dadas as consequências negativas que a inadimplência traz. Para piorar, diferentemente dos gastos com consumo, o pagamento das parcelas não traz nenhuma satisfação instantânea para o pagador.

Quando falamos sobre Brasil, as dívidas podem ser um assunto ainda mais delicado: em 2020, 65% das famílias brasileiras estavam endividadas e gastavam, em média, quase um terço da renda mensal com as parcelas de dívidas.

Mas você deve estar se perguntando: “como isso afeta a minha empresa?”

A princípio, a pergunta pode parecer estranha, afinal, se as empresas não têm nenhuma responsabilidade com as dívidas dos funcionários, por que os patrões deveriam se preocupar?

A resposta vem de dezenas de pesquisas dos últimos anos: estudos demonstram que indivíduos com problemas relacionados a dívidas têm 6 vezes mais chances de apresentar sintomas de depressão, além de viverem mais estressados e irritáveis.

Outros sintomas importantes das dívidas para a saúde mental são:

  • Ansiedade.

  • Esgotamento emocional e cognitivo.

  • Baixa autoestima.

  • Sentimento de culpa.

  • Maior propensão a criar vícios (comidas, cigarro, bebida).

É claro que esses sintomas têm suas próprias consequências para a saúde física e os mais comuns são:

  • Alterações no sono e no apetite.

  • Cansaço frequente.

  • Horários desregulados.

  • Úlcera.

  • Gastrite.

  • Pressão alta.

Se ainda não ficou claro porque o problema do endividamento deveria ser uma preocupação da sua empresa, vamos lá:

Uma pesquisa recente no Reino Unido mostrou que os funcionários com preocupações financeiras gastam, em média, 2,7 horas de tempo útil de trabalho por semana cuidando das suas finanças pessoais e tiram um dia de licença remunerada por ano por problemas relacionados ao estresse com a situação financeira.

Além disso, esses funcionários têm 12 vezes mais chances de não concluir as tarefas diárias do trabalho e 150% mais chance de estar procurando outro emprego.

É claro que esses problemas prejudicam as empresas e os empregadores: os colaboradores ficam menos produtivos, menos sociáveis e a rotatividade das vagas aumenta. Segundo a pesquisa citada acima, esses impactos podem representar até 13% do orçamento com pessoal.

Para você ter uma visão mais completa desse problema, listamos, abaixo, alguns dos principais efeitos do endividamento de colaboradores sobre a produtividade e os custos das empresas:

  • Falta de motivação e comprometimento.

  • Distrações constantes.

  • Esgotamento emocional e cognitivo.

  • Piora na assiduidade e na gestão do tempo.

  • Insatisfação com o trabalho.

  • Demissões forçadas para usar verbas rescisórias.

  • Solicitações de adiantamentos.

  • Mais licenças médicas remuneradas.

  • Piora no relacionamento com os colegas e clientes.

  • Erros e acidentes de trabalho.

  • Problemas disciplinares.

Felizmente, existem muitas formas de lidar com esses problemas dentro da sua empresa. Uma alternativa é fomentar o interesse em educação financeira, facilitando grupos de estudo, discussões e outras atividades realizadas pelos próprios colaboradores.

Também é possível trazer esses temas para a empresa em cursos, palestras ou facilitar soluções específicas para os problemas financeiros dos colaboradores, como ferramentas de organização financeira e alternativas de crédito barato.

Para uma visão completa dos problemas do endividamento para a sua empresa e das soluções disponíveis, acesse nosso e-book nesse link.

9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo